Seja um Seguidor deste Blog

Me adicionem no Linkedin

segunda-feira, 30 de dezembro de 2019

Contabilidade em Pequenas Empresas

A Contabilidade em pequenas empresas sempre é terceirizada junto a um escritório de contabilidade.
Muitas vezes os escritórios apenas processam as Notas Fiscais emitidas e recebidas e cuidam das obrigações fiscais e trabalhistas.

Seja a empresa do porte que for, ela sempre deve exigir do escritório de contabilidade a emissão de balancetes mensais e também dos demonstrativos financeiros principais que são:

O Balanço e o 
DRE ( Demonstrativo de Resultado do Exercício ) 
Fonte da Figura: http://www.gecompany.com.br/educacional/o-balanco-patrimonial-e-sua-utilidade/

O Balanço Patrimonial e o DRE são excelentes ferramentas para acompanhamento, registro e controle das diversas contas e grupos de contas controlados pela Contabilidade. Logo nenhuma empresa deveria dispensar esses relatórios.

Balanço Patrimonial

O Balanço Patrimonial mostra os bens, direitos do lado dos Ativos e no Passivo as Obrigações. Logo abaixo das Obrigações é mostrado o Patrimônio Líquido, onde os principais itens são o Capital investido pelos sócios da empresa e os Lucros ou Prejuízos acumulados.

DRE  -  Demonstrativo de Resultado do Exercício

O DRE demonstra mês a mês as Receitas, os custos das vendas, os custos e despesas e lucro ou prejuizo gerado no período demonstrado.


Fonte da Figura acima - https://orcamentoempresarial.com/2017/10/16/custos-e-despesas-na-dre-algumas-analises-gerenciais/

Temos ainda um terceiro Demonstrativo que é o Demonstrativo de Fluxo de Caixa. Recomendamos a elaboração mensal do DRE e Balanço e pelo menos trimestral do demonstrativo de Fluxo de Caixa.




quinta-feira, 5 de dezembro de 2019

Como calcular o CPV ( Custo do Produto Vendido

O Custo do Produto Vendido é um componente essencial do Demonstrativo de Resultados ( DRE ) da empresa.

Como o próprio nome diz esse montante corresponde aos Custos de todos os produtos que são vendidos ao longo de um mês.

RECEITAS 
- CPV

= LUCRO BRUTO ou MARGEM BRUTA

O Ideal é que tenhamos uma decomposição dos CPV por item e da mesma forma teremos as Receitas por item. Deduzindo o das Receitas Líquidas o CPV correspondente teremos a margem bruta ou o lucro bruto.

Em outras palavras, o DRE também corresponde às saídas dos Estoques da empresa que ocorrem em função da Venda de Produtos.

MOVIMENTAÇÃO DOS ESTOQUES

Saldo Inicial - XXXXXX
Entradas       - XXXXXX
- CPV           - XXXXXX    <<<<< Baixa dos Estoques pela Venda
= Saldo Final


Acompanhar a margem bruta gerada para cada produto vendido é uma excelente informação para analise e posicionamento sobre a rentabilidade da empresa.

Também é recomendável demonstrar o CPV em custos fixos e variáveis.

Desta forma deduzindo da Receita Liquida o Custos Variáveis, assim como outros custos e despesas variáveis teremos a Margem de Contribuição, ficando assim:

Receita Liquida

- CPV variável ( normalmente materiais e embalagens )
- Outros custos variáveis ( mão de obra própria, mão de obra terceirizada )
- Fretes das vendas
- Comissões sobre Vendas
- Outros custos variáveis ( ex: combustíveis, parte variável da energia elétrica)

= Margem de Contribuição

Apurar a Margem de Contribuição Mensal e Acumulada e um indicador de muita utilidade.

A maximização da Margem de Contribuição é um dos objetivos essenciais numa empresa.

De uma forma geral, a margem de contribuição que exceder os custos fixos gerará o Lucro, que obviamente quanto maior melhor.

No DRE abaixo da Margem de Contribuição colocaríamos os Custos e Despesas Fixos.

Importante destacar nesse grupo as Depreciações e o Resultado Financeiro, pois eles entrarão na composição do EBITDA que é um outro indicador importante que deve ser apurado, comparado com períodos anteriores e valor planejado.










Curso Virtual de Controladoria Estratégica - Conteúdo por Ordem Alfabética

CONTEÚDO DO CURSO DE CONTROLADORIA ESTRATÉGICA 

Arquivo do blog