SIGAM ESTE BLOG

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Capacitação de Analistas Financeiros e Analistas de Negócios

Alphapremium Consultoria e Treinamentos Ltda
Treinamento para Capacitação de Analistas Financeiros / Analistas de Negócios

Data do Evento: A definir ( assim que conseguirmos fechar as turmas - 

Previsão Novembro/ Dezembro e Janeiro )
Horário de início e término: da 9:00 às 17:00
Número de Participantes: 20 a 30
Finalidade do evento: Treinamento / Capacitação de Analistas Financeiros e de Negócios

- Objetivo
Capacitar Analistas ao bom desempenho de suas atividades através de posturas, comportamentos,  padrões e uso de  ferramentas para o desempenho de suas funções.
Preparar futuros supervisores, coordenadores e gerentes para se distinguirem  no mercado como executivos conhecedores das melhores práticas com comportamento e comprometimento necessários ao desempenho de suas funções.
Ao final de cada módulo será entregue um certificado de participação. Ao final das capacitações: Introdução, Intermediária e Avançada será aplicado um teste mediante aprovação do mesmo será concedido certificação em Analise Financeira e de Negócios pelo Instituto Alpha Premium de Capacitação e Certificação.

 - Conteúdo programático
No módulo I -Treinamento Básico e Introdutório. Dentre outros tópicos serão abordados:

·         Missão,Cultura e Valores.
·         Análise SWOT, Planos de Negócios,
·         Postura e Comprometimento do Analista, Como se posicionar. Lidando com questões polêmicas.  Abordagem de problemas,
·         Técnicas de Negociação.
·         Fazendo apresentações campeãs e técnicas de apresentação.
·         Liderança de Pessoas, Trabalhando em Equipe, Motivação .
·         Liderando Processos.
·         Obtendo Eficácia nos Processos, Gestão de Indicadores de Desempenho, Balanced Score Card.
·         Gestão de Projetos.
·         Como se portar em Reuniões, fazendo agendas e atas, follow up das reuniões.
·         Planejamento Estratégico e Tático. Efetuando Simulações e construindo cenários, Budget, Forecast ( Previsão ) e Rolling Forecast ( Forecast Rotativo )
·         Os Bancos de Dados dos analistas.
·         Utilização de ERP´s.
·         Computação nas núvens. Auditoria de sistemas. Segurança de sistemas. Seleção de Softwares. 
·         Demonstrativos Financeiros e Demonstrativos de Resultados (P&L),
·         Fechamentos Mensais, Revisões e Análises Mensais, Relatórios de Análise.
·         Gestão de Estoques e Logística.
·         Análise da Capacidade Instalada, Auditoria operacional e auditoria externa.
·         Controle Interno. Segregação de funções, Conflito de interesses. Planejamento Tributario, Eficiência em Compras, Estudos de viabilidade, Controladoria Financeira X Controladoria de Negócios. Unidades de Negócio.
·         Gestão Financeira de Working Capital ( Capital de Giro ). Linhas de crédito. Custos Financeiros.
·         Gestão de Efeitos Monetários. Efeito Cambial. Variação monetária. Hedge.
·         Gestão de Importações e Exporetações.
·         Terceirizações. Contingências Trabalhistas, Representantes de Vendas
·         Custos de Servir. Nível de serviço ao cliente.

- Público alvo
Profissionais em formação que ocupem cargos de Analistas ou que almejam a posição de Analistas e que tenham objetivo de desenvolver carreira ascendente com busca de nível gerencial.
 - O evento será comercializado ou será fechado para alguma empresa?
Comercializado, mas também poderá ser direcionado para empresas
 - O evento terá parte teórica e prática? No caso de parte prática favor especificar:
Exposição em Power Point
Maior parte será expositiva teórica.
Muitas questões, debates e definições serão apresentados  

Informações: contato@alphapremiumconsultoria.com.br

                                        Para acessar link clique na parte amarela

Adquira nossos Ebooks e Artigos a partir de R$ 1,00 real
Ajudem a manter nossos blogs e a ajudar aos animais 

Depósito em qualquer um dos Bancos


sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Custo de importação - Fique de olho nele

Muitas empresas fazem uma análise e mesmo com o câmbio elevado concluem que vale a pena importar.

Os cálculos da formação dos custos de importação são simples embora tenha muitos componentes e você pode baixar uma dessas planilhas de composição dos custos da importação na Internet.

Suponha que você paga localmente 1000 reais e o importado e é estimado que depois de todas as taxas, impostos, fretes, armazenagem e tudo mais fica em 700 reais.

Então começa o processo de troca do item nacional pelo item importado. Mas alguns detalhes não costumam ser levados em conta. A seguir seguem alguns:

- Os pagamentos das importações em geral precisam ocorrer antecipadamente, o que provoca grande impacto no fluxo de caixa
- Para minimizar custos é necessário importar grandes volumes, o que por acarreta um grande aumento dos estoques
- Perde-se a flexibilidade que os fornecimentos locais propiciam e no caso de problemas de planejamento e outros fatores que requeiram compras emergenciais, enormes custos adicionais são incorridos por fretes aéreos e outros custos.

Outros elementos podem ocorrer mas esses citados são suficientes para mais que compensar certas situações aparentemente favoráveis.

No final o que parecia uma solução se torna um problema, ou mesmo ainda que economicamente haja vantagem, é preciso monitorar importação a importação e comparar os custos previstos com os reais. Uma análise muito detalhada é essencial.

Veja também:
http://professorari.blog.br

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

O Bloco K foi prorrogado para faturamento abaixo de 300 milhões

BLOCO K PRORROGADO
Diário Oficial da União: 08/10/2015

BLOCO K PRORROGADO: Publicado no Diário oficinal da União de hoje (08/10/2015) o escalonamento da obrigatoriedade de entrega do bloco K.
Segue abaixo texto extraído e link da publicação:

“AJUSTE SINIEF 8, DE 2 DE OUTUBRO DE 2015

Altera o Ajuste SINIEF 02/09, que dispõe sobre a Escrituração Fiscal Digital – EFD. O Conselho Nacional de Política Fazendária – CONFAZ e o Secretário da Receita Federal do Brasil, na 158ª reunião ordinária do Conselho Nacional de Política Fazendária – CONFAZ, realizada em Florianópolis, SC, no dia 2 de outubro de 2015, tendo em vista o disposto no art. 199 do Código Tributário Nacional (Lei nº 5.172, de 25 de outubro de 1966), resolvem celebrar o seguinte AJUSTE
Cláusula primeira Fica alterado o § 7º da cláusula terceira do Ajuste SINIEF 02/09, de 3 de abril de 2009, com a redação que se segue:



Adquira nossos Ebooks e Artigos a partir de R$ 1,00 real
Ajudem a manter nossos blogs e a ajudar aos animais 

Depósito em qualquer um dos Bancos





“§ 7º A escrituração do Livro de Registro de Controle da Produção e do Estoque será obrigatória na EFD a partir de:

I – 1º de janeiro de 2016:

a) para os estabelecimentos industriais classificados nas divisões 10 a 32 da Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE) pertencentes a empresa com faturamento anual igual ou superior a R$300.000.000,00;

b) para os estabelecimentos industriais de empresa habilitada ao Regime Aduaneiro Especial de Entreposto Industrial sob Controle Informatizado (Recof) ou a outro regime alternativo a este;

II – 1º de janeiro de 2017, para os estabelecimentos industriais classificados nas divisões 10 a 32 da Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE) pertencentes a empresa com faturamento anual igual ou superior a R$78.000.000,00;
III – 1º de janeiro de 2018, para: os demais estabelecimentos industriais; os estabelecimentos atacadistas classificados nos grupos 462 a 469 da Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE) e os estabelecimentos equiparados a industrial.”


quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Como calcular variações de preços e de volumes nas vendas.

Sistema de Custos Standard - Variações de Custos com Materiais

Em empresas industriais muitas vezes os materiais chegam a atingir 70, 80% ou até participação maior com relação aos custos totais.

Trabalhei em grandes empresas industriais do setor de consumo, onde era comum ocorrerem elevados custos de embalagens, o que tomado em conjunto com os custos da matérias primas, faziam com que os custos totais dos materiais assumissem altas cifras.


No entanto, ao consultarmos a literatura existente constatamos existir muito pouca informação sobre essa família de custos.

Uma boa gestão de custos, identifica os custos reais com os matériais consumidos, compara-os com os consumos teóricos ou padrões, e identifica as variações classificando-as entre as mais diferentes causas.


Alguns sistemas precariamente desenvolvidos ou mal implantados não tem a capacidade de reportar valores reais comparativamente aos valores téoricos e respectivas variações. Eles apenas reportam os custos com base em valores teóricos. Diferenças de consumo dos materiais ficam automaticamente incorporadas às variações nos estoques, e são elas ajustadas por ocasião dos inventários gerais, ou cíclicos.

Em algumas empresas as pessoas que mais entendem sobre custos, são profissionais da área de tecnologia da informação, que acabam assumindo todo o trabalho de implementação dos diversos módulos do ERP. Essas empresas não adotam a figura do "key user", que deveria ser funcionário das áreas operacionais onde os processos ocorrem.

Já encontrei gerente de área de técnologia da informação, que é radicalmente contra um ERP reportar consumos de materiais reais e teoricos, esse profissional assegura que isso seria um desperdício e que apenas o reporte do teórico é o suficiente. Para uma área de IT, concordo que deve ser melhor, fica bem mais fácil para eles darem suporte, apesar da implementação medíocre e inconveniente à boa gestão dos custos.

Assim, considero elemento essencial o ERP, seja ele o SAP, Microsiga, MFG, ou o que for, que os consumos reais e teóricos estejam disponíveis.

A seguir discorro sobre algumas variações dos materiais quando comparamos consumos reais versus teóricos:

1- Variações de Uso ( em inglês Usage variation )

Essas variações são decorrentes de diferentes quantidades serem consumidas em relação ao consumo teórico ou padrão. Muitos são os fatores que podem provocar consumos reais maiores que os teóricos, então apenas identificar as variações de uso não basta, é necessário identicar os motivos dos consumos maiores ou menores. Listos alguns a seguir:

1.1- Variações por perdas de produção acarretadas por mau funcionamento das maquinas e equipamentos;
1.2- Variações por problemas de qualidade;
1.3- Variações devido problemas de qualidade nos materiais;
1.4- Variações devido a falta de treinamento dos operadores
1.5- Variações devido a tamanho do lote de produção

2- Variações de Preço

As variações de preço serão indicadoras da eficiência do departamento de compras e também da área de planejamento, visto que compras urgentes, principalmente de produtos importados acabam implicando em maiores preços reais pagos. 

As variações de preços serão geradas por pagarem preços diferentes daqueles previstos no custo standard.
É importante separar as variações de preços de materiais importados e materiais adquiridos localmente, logicamente no caso dos valores dos materiais importados serem relevantes.

Para materiais adquiridos no mercado local as variações de preços podem ocorrer por mudança de fornecedor, por mudança de prescrição técnica do material, ou para o caso de commodities, devido a oscilação de preço no mercado. Em algumas empresas alguns processamentos externos podem também gerar variações nos preços dos materiais. Em alguns casos, alguns sistemas consideram custos com processamentos externos podem ser agregados aos preços dos produtos, eu prefiro que tais custos sejam isolados e controlados como uma categoria específica.

Materiais importados podem sofrer grandes variações de preços e as causas mais frequentes são: variação de frete devido urgência em importar via aérea em vez de via marítima; variação devido a custo de armazenagem local devido a material ficar parado no porto por motivos diversos. ´Para empresas com importante volume de importação é recomendável de prepare um relatório mostrando para cada itens 4 colunas a saber: preço unitário conforme invoice, frete marítimo, aéreo ou terrestre e despesas alfandegarias.



terça-feira, 6 de outubro de 2015

Palestras para Universidades, Escolas, ONGs e PME´s

Atenção

Palestras grátis em ONG´s, Universidades e Colégios.

Baixo custo em PME´s

Levo experiência de mais de 40 anos no mundo corporativo e 20 anos como lecionando em cursos de Administração, Economia e Contabilidade.






Palestras sobre:


Gestão e liderança,
     acima de tudo com ética
Evitando desperdício,
     reduzindo custos e trazendo lucro.
Boas práticas em vendas ,
    sem elas o fracasso é certo
Motivação e qualidade de vida
    no trabalho. Sim, é possível!
Postura de prossionais

    de alto desempenho.
Controladoria de negócios.
    Cuidado com a falta de controle.
Controladoria de fábrica.
    Nem sempre o que parece é!
Ferramentas de gestão.
    Para o sucesso do seu negócio.
Custos na prática.
    A realidade é mais embaixo.
Relacionamento no trabalho.

Planejamento Estratégico - Dicas para a elaboração

sábado, 3 de outubro de 2015

CPC PME - Norma Contábil para Pequenas e Médias Empresas

Pequenas e Médias Empresas tem o procedimento contábil simplificado conforme o

CPC PME (R1) - Contabilidade para Pequenas e Médias Empresas com Glossário de Termos

Abaixo encontre o link do procedimento completo e ao final do procedimento encontre o Glossário de Termos.

Demonstrativos Contábeis devem de PME devem estar em conformidade com esse CPC.

O CPC PME possui cerca de 240 páginas, mas para aqueles que acham muito eles facilitam a aplicação das normas contábeis para PME, pois o CPC´s originais para as demais empresas possuem mais de 1600 páginas.

Nas PME´s não estão incluídas • Bancos, cooperativas de crédito, seguradoras • Fundos mútuos e bancos de investimentos • Sociedades de grande porte. 

No CPC PME
Não é permitida a reavaliação de ativos;
Não há reavaliação de intangíveis;



Itens que terão tratamento idêntico tanto nas PME quanto nas companhias abertas 

• Estrutura conceitual da contabilidade 
• Disponibilidades, Contas a Receber, Estoques, Ativos Especiais e Despesas antecipadas 
• Ativo Diferido – não existe nas normas internacionais e deverá ser mantido apenas até sua total amortização
 • Fornecedores, Empréstimos e Financiamentos (exceto pelos juros capitalizados para ativos qualificáveis), Impostos a Pagar e Provisões, Passivos e Ativos Contingentes 
• Concessões 
• Combinação de Negócios, Fusão, Incorporação e Cisão 
• Transações entre Partes Relacionadas

Itens acima do link: http://www.crc-ce.org.br/crcnovo/files/CRC-CE-PME_Ariovaldo.pdf

Vejam o CPC PME completo em:


Outros pontos importantes do CPC PME:

(a)    a entidade avalia o ativo imobilizado pelo menor valor entre o custo depreciado e o seu valor recuperável;
(b)   a entidade avalia estoques pelo menor valor entre o seu custo e o preço de venda estimado menos despesas para completar a produção e vender;
(c)    a entidade reconhece a perda por redução ao valor recuperável relacionada a ativos não financeiros que estão em uso ou mantidos para venda. 
A maioria dos passivos que não são passivos financeiros é mensurada pela melhor estimativa da quantia que seria necessária para liquidar a obrigação na data das demonstrações contábeis.



quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Grandes mudanças nas normas contábeis no Brasil

A partir de 2009 profundas mudanças ocorreram nas normas contábeis.

Imprescindível para o profissional de contabilidade é acompanhar uma autêntica revolução que está ocorrendo no Brasil.

Ministrando durante alguns anos aulas de contabilidade internacional, tive a oportunidade de antecipar para alunos algumas abordagens pouco conhecidas até hoje.

Me recordo que estudamos exaustivamente dentre outras a figura do Fair Value que é uma grande inovação na contabilidade, e que faz com que o antigo e desgastado princípio contábil do custo histórico perca espaço, possibilitando assim à contabilidade revestir-se como elemento de avaliação econômica.

Para o contador e estudante de ciências contábeis, bem como para outras áreas profissionais que interajam com a contabilidade é fundamental acompanharem o que está ocorrendo. Abaixo destaco alguns links importantes.

Mas vejo que muitos contadores e escritórios de contabilidade têm apenas uma preocupação fiscal com os demonstrativos financeiros e não se preocupam em adequar os demonstrativos aos padrões contábeis vigentes.



Vejam também:

Escritórios de contabilidade. É preciso inovar.


http://www.cpc.org.br/CPC/Documentos-Emitidos/Pronunciamentos

http://www.cvm.gov.br/

http://www.ibracon.com.br/noticias/destaque.asp?identificador=3243

Loja Virtual de Moda Fitness

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger... Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...