sexta-feira, 1 de abril de 2011

ERPs Vantagens e Desvantagens da Informação


Autor: Acyr Ragugnetti Filho
 
Os  ERPs trazem informações sobre o que se passou e o que ocorreu durante os meses de vida e de anos das empresas e na maioria das vezes trabalham somente com o passado,  o que  infelizmente e  na maioria dos casos  só nos auxiliam a lembrar e verificarmos o que fizemos de errado para  tentarmos  corrigir o próximo mês , o próximo trimestre ou o próximo ano.
Estes sistemas são transacionais, e trabalham, na maioria das vezes, com o fato depois de ocorrido  guardando sempre  bastante informação de histórico e do passado das empresas.
Estamos, neste caso  dirigindo nosso carro olhando pelo espelho retrovisor.
Com os ERPs eu posso sempre saber o que deu certo e o que deu errado, através dos indicadores do passado, e que geramos através deles
ex: gastamos no ano de 2010 com  estoques inativos e obsoletos  6% de nosso inventario.
perdemos com problemas de qualidade no mês passado o “X” R$,
 Gastamos 5% a mais de fretes em 2010  se compararmos  com o ano de 2009 e vendemos somente 3% a mais.
Estes indicadores na maioria das vezes tratam do histórico e do passado e temos que aprender a observar através dos indicadores gerados nos ERPS, (SAP, Microsiga, Data Sul, Magnus, Conectus ), para podermos tentar melhorar nossa performance futura.
Existem no mercado já há algum anos nas grandes empresas de ERPs  os famosos APOs (Advanced Planning Optmizer) e APS (Advanced Planning Scheduling) que trabalham “pendurados” e ou são parte integrante dos ERPs e estes sim, mostram e nos auxiliam a tomar decisões de mudanças de direção, rumo e decidir o futuro de nossas empresas.
 Estes softwares ainda nos auxiliam a tomar decisões, por exemplo, onde deveremos instalar,  um centro de distribuição, uma fábrica,  ou se poderemos ou não atender os clientes de uma determinada região, baseados na localização e demanda de nossos clientes, capacidade de produção de nossas fábricas.Eles nos mostram  também onde deveremos localizar e ou se deveremos  ou não transferir nossos centros de distribuição, nossas plantas e fábricas .
Mostram-nos inclusive qual o custo destas transferências ou custos de mudanças;  por onde deveremos transitar nossos produtos; que tipo de transporte é o mais fácil para aquele produto; qual  o modal mais rentável; de que fabrica poderemos transferir nossos produtos e melhor ainda nos mostram os custos de cada alternativa.
Gosto muito deste tipo de software que repito, trabalham sempre ou pendurados nos grandes ERPs,  ou fazendo  parte integrantes dos mesmos;
Eles nos auxiliam a tomar decisões, antes dos  fatos ocorrerem,  mostrando nos  ou  dando idéia  do que será melhor para as nossas empresas.

Notas sobre o autor:
Acyr Ragugnetti Filho, Engenheiro Químico, Engenheiro de Segurança, Professor do MBA em Logística da Universidade de Sorocaba, especialista  em Administração da Produção e em  Supply Chain. Atualmente é Sócio da Ragugnetti Consultores Associados e atua  em Gestão e Reestruturação Empresarial.      

Postar um comentário